Como a tecnologia avançou no ano de 2020

Como a tecnologia influencia o mercado de trabalho
12 de janeiro de 2021
Como fazer um planejamento perfeito para criação de site
23 de janeiro de 2021

Como a tecnologia avançou no ano de 2020

O avanço da tecnologia tem se expandido cada vez mais nos últimos anos. As inúmeras revoluções na área da tecnologia da informação e da comunicação (TICs) foram notáveis no ano de 2020, muito por conta da pandemia da covid-19.

Com as exigências de distanciamento e isolamento social, além dos decretos de fechamento de escolas e comércios, as pessoas tiveram que se reinventar com auxílio da tecnologia.

Tanto que o chamado home office virou uma tendência mundial. No Brasil, se essa modalidade de trabalho já vinha crescendo, o ano de 2020 representou uma verdadeira ruptura nos modelos tradicionais de atividades corporativas. 

Ou seja, em meio a uma crise sanitária sem precedentes, a tecnologia foi a grande responsável pela manutenção de empresas, instituições e atividades essenciais para a sociedade.

No artigo de hoje, saiba como a tecnologia avançou no ano de 2020 e conheça algumas tendências para os próximos anos.

6 tecnologias que se aprimoraram no ano de 2020

Os avanços tecnológicos estão presentes em praticamente tudo o que vemos no nosso dia a dia. Por exemplo, um sistema de tratamento de agua utiliza vários softwares para manter a qualidade de seus processos e armazenar informações relevantes.

Inclusive, é difícil nos depararmos com trabalhos que não necessitam de pelo menos uma ferramenta tecnológica para amparar suas operações, divulgações, logística, entre outros processos.

Porém, com a pandemia da covid-19, alguns recursos tecnológicos ganharam mais destaque do que outros. A seguir, conheça algumas tecnologias que se aprimoraram no ano de 2020.

1 – Atendimento médico virtual

As medidas de isolamento social exigiram uma adaptação da comunicação humana. Se a tecnologia já mediava vários contatos, em 2020, as plataformas virtuais foram imprescindíveis para a manutenção do diálogo.

Além do mais, o próprio atendimento ao paciente teve que se transformar, como uma maneira de evitar a contaminação em clínicas e hospitais.

Diante desse cenário, a chamada telemedicina foi liberada pelo Conselho Federal de Medicina (CFM), caráter excepcional durante o período de combate a covid-19.

Dessa forma, o atendimento a paciente por videochamada passou a ser feito com a devida orientação, encaminhamento e monitoramento de paciente, bem como a troca de informações entre ambos para auxílio no diagnóstico.

Outra questão importante é a saúde mental. Segundo um levantamento feito pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz),  durante o período da pandemia do novo coronavírus, mais de 40% dos entrevistados relataram se sentiram tristes ou deprimidos. 

Ainda de acordo com a pesquisa, cerca de 54% responderam que ficaram ansiosos ou nervosos com frequência .

Por essa razão, com o objetivo de atender a demanda em busca da saúde mental, o Conselho Federal de Psicologia (CFP) ampliou as formas de atendimento online, não limitando o número de consultas por videoconferência.

2 – Rastreamento de dado

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), é necessário testar e rastrear o maior número de casos possíveis de pessoas infectadas com Covid-19, incluindo as assintomáticas, para que o isolamento social renda frutos.

Esse tipo de medida requer a ajuda da tecnologia, uma vez que é preciso ter em mãos as informações suficientes sobre os indivíduos, além de um controle do armazenamento e gerenciamento dos dados coletados.

De forma resumida, funciona basicamente como um sistema de controle de acesso, no entanto, o foco é para obter informações sobre os contágios do vírus.

A China foi pioneira no uso da tecnologia de cruzamento de dados para auxiliar no combate ao novo coronavírus. Através de parcerias com companhias telefônicas, foi possível cruzar as informações e descobrir casos de contágio, em locais em que pessoas infectadas frequentaram.

Agora, em determinados estabelecimentos chineses, é necessário apresentar um QR Code para liberação da entrada. Alguns lugares fizeram até a reforma comercial para atender essa demanda, como forma de limitar ainda mais o contágio do vírus.

3 – Inteligência artificial

A inteligência artificial (IA) já estava crescendo nos últimos anos, mas com a pandemia da Covid-19, ela tomou proporções que só eram esperadas no futuro.

Hoje em dia, ferramentas tecnológicas como o Big Data, computação em nuvem e a Internet das Coisas (IoT), tornaram-se indispensáveis para encontrar várias formas de tratamento contra o vírus, evitar a sua propagação e melhorar a informação compartilhada com a sociedade.

Para termos uma ideia, o Brasil conta com um portal que usa a inteligência artificial para identificar a doença com base em imagens de raios X e tomografias do tórax. 

Dessa forma, com o auxílio do armazenamento em nuvem, é possível complementar os exames diagnósticos.

Inclusive, as próprias redes sociais, como o Facebook e YouTube estão utilizando a inteligência artificial para verificar a veracidade das notícias, como uma ação de combate à indústria das fake news, que tendem a desinformar o povo.

As fake news se tornaram um problema mundial. Tanto que é possível encontrar vários conteúdos falsos sobre diversos assuntos. 

Alguns deles são apenas para descredibilizar concorrentes, como materiais que falam inverdades sobre mochila sustentavel, por exemplo.

Porém, isso tem se tornado cada vez mais problemático, ainda mais quando o assunto é sobre a pandemia. Como consequência da desinformação, há mais casos de contágio, além da descredibilização dos órgãos oficiais.

4 – Entregas automatizadas

Devido ao fechamento do comércio, bares, restaurantes e outros estabelecimentos, muitas empresas tiveram que se reinventar na pandemia, partindo para serviços de entregas automatizadas e aplicativos de delivery.

Isso ajudou na manutenção do funcionamento dos negócios, contribuindo com a antecipação de recebíveis para empresas. Em alguns casos, os ganhos foram até maiores, em comparação ao atendimento somente in loco.

Sendo assim, o serviço de entrega automatizado, feito por meio de aplicativos, é uma tendência que irá permanecer para os próximos anos. 

Tanto que algumas empresas trabalham com o hibridismo, ou seja, mesmo abrindo as portas, continuam com o atendimento online.

Além da boa perspectiva de ganhos, as entregas automatizadas também oferecem outras vantagens às empresas, como:

  • Possibilidade de atendimento em novas regiões;
  • Expansão da marca no mercado;
  • Capacidade para atender mais pessoas;
  • Cumprimento dos decretos de distanciamento.

Vale dizer que, mesmo nas cidades onde o comércio já é liberado, o funcionamento está com algumas restrições, não sendo possível a abertura com a capacidade máxima de clientes.

Diante desse cenário, muitas empresas resolveram atender somente online, já que elas reduzem o custo com algumas questões tipicamente físicas, como locação de espaço, instalação de sistema de combate a incêndio, entre outros.

5 – Softwares de gerenciamento

Os softwares de gerenciamento também se tornaram muito populares com a pandemia da Covid-19, já que eles permitiram controlar a atividade dos colaboradores em home office.

Além do mais, muitas das atividades puderam ser verificadas a distância, dispensando a presença física de funcionários e, como consequência, contribuindo para as medidas de isolamento social contra o novo coronavírus.

Por exemplo, um sistema de gestão é capaz de avaliar o trabalho de um equipamento específico, como um filtro magnético, repassando informações em tempo real aos colaboradores, que realizam o controle através de um computador.

Ou seja, é a tecnologia auxiliando no desenvolvimento de operações mais fáceis, porém técnicas, mas que permitem a assertividade na realização das atividades.

6 – Lives-show em redes sociais

As lives se tornaram muito frequentes durante a pandemia. Elas são uma forma de promover artistas que ficaram parados durante essa época e, ao mesmo tempo, oferecer uma opção de entretenimento para quem se mantinha em casa.

A produção dessas lives é enorme, com equipamentos de som de ponta, cortina de luz de segurança, cenários, entre outros elementos.

No futuro, é esperado que essas transmissões ao vivo continuem, já que elas permitiram que muitas pessoas pudessem assistir a shows mesmo longe da região em que moram.

Além do mais, foi uma alternativa interessante para eventos acadêmicos, visto que muitos estudantes, pesquisadores e professores puderam apresentar seus trabalhos através de encontros virtuais.

Conclusão 

A pandemia da covid-19 exigiu uma transformação brusca em toda a sociedade. Vivemos uma das crises sanitárias mais graves do século 21, como consequência, houve a necessidade de mudança de vários comportamentos.

Porém, ao mesmo tempo em que enfrentamos essa situação sem precedentes, a pandemia também permitiu o desenvolvimento e o aprimoramento de várias tecnologias que foram essenciais para a manutenção de certas atividades e a continuação de uma harmonia social.

O artigo de hoje buscou trazer alguns exemplos de tecnologias que avançaram no ano de 2020 e pretendem permanecer por muito tempo. O destaque está nas ferramentas de comunicação que ampliaram o diálogo mesmo com a exigência de isolamento social.

Por esse motivo, quem ainda está de fora das inovações tecnológicas deve começar o quanto antes a investir nessas ferramentas, principalmente as empresas, com risco de não sobreviver às transformações dos próximos anos.
Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *